Tipos de hérnias: sintomas e tratamento

Tipos de hérnias: sintomas e tratamento

0 Comentário
Doenças

Vamos falar um pouco sobre cada tipo de hérnia, vamos entender, saber como se desenvolve, quais são os sintomas e como é feito o tratamento.

Hérnia abdominal
São hérnias que ocorrem durante a vida da pessoa ou do bebe que pedem ser congênitas ou adquiridas.
Hérnia congênita – são hérnias que ocorrem com frequência na região inguinal e na cicatriz umbilical.
Hérnia inguinal – isso acontece porque o testículo quando estamos na fase embrionária fica dentro da barriga, ate o 12º ou 15º dia ele desce para bolsa escrotal, algumas vezes esse orifício por onde ele desce fica entre aberto, isso ocorre em pessoas que tem características de um defeito que o colágeno tipo 1 e 3.
Colágeno tipo 1 – É o mais comum, aparece nos tendões, cartilagem, ossos e pele;
Colágeno tipo 3 – Presentes em fígado, pulmões e artérias;
Na cicatriz umbilical é porque tem uma fraqueza própria de onde estava o cordão umbilical, as mais frequentes são a inguinal mas podem ocorrer na cicatriz umbilical e na linha média da barriga que se chama hérnia epigástrica.

Quais são os tipos de hérnias
Temos as hérnias inguinais, hérnias umbilicais e hérnias epigástricas que são as hérnias da linha média.
A hérnia que eventualmente ocorre quando o paciente é operado, é o que chamamos de Hérnia Incisional ou Hérnia Ventral.

As causas das hernias
Geralmente é uma fraqueza da parede e uma pré disposição que a pessoa tem, não tem como evitar a hérnia abdominal porque é um defeito de uma enzima. Pessoas com tosse crônica, com obesidade, pessoas com mais idade que tem dificuldade de urinar e pessoas que são ressecadas, tem uma pré disposição em antecipar o aparecimento da hérnia, ou eventualmente o trabalhador braçal que faz muito esforço físico.
Nas hérnias incisionais que são causadas por cortes na barriga como por exemplo uma pessoa que opera por apendicite ou por qualquer outro problema, as vezes essa pessoa tem essa pré disposição ou se for diabético, faz uso de corticoides é fumante tem uma chance maior de desenvolver a hérnia.

Hérnia inguinal
A hérnia inguinal é o tipo mais comum, a hérnia inguinal é uma saliência de parte do conteúdo intra-abdominal, que pode ser tecido adiposo, alças do intestino grosso ou do intestino delgado através de um orifício na parede abdominal, mais precisamente na região inguinal. Essa hérnia pode ocorrer em um ou nos dois lados da virilha e é muito mais frequente em homens do que em mulheres.
Os sintomas da hérnia inguinal são: saliência em um ou nos dois lados da virilha, em homens, observa-se o saco escrotal inchado, desconforto ou dor, principalmente ao fazer algum esforço físico, sensação de fraqueza ou pressão na virilha.

hernia inguinal

Cirurgia laparoscópica
Em vez de uma cirurgia aberta, algumas hérnias podem ser reparadas usando um laparoscópico. A vantagem da laparoscopia consiste na inserção de uma pequena câmera por pequenos cortes cirúrgicos, o que garante recuperação mais rápida e menos dolorida ao paciente.

Cirurgia laparoscópica

Hérnia umbilical
Este tipo e hérnia ocorre na região do umbigo como o próprio nome já diz, é uma protuberância anormal que pode ser vista ou sentida.
desenvolve quando uma porção do revestimento do abdômen, de parte do intestino e/ou fluido do abdômen se acumula através do músculo da parede abdominal.
Comum em bebês, a hérnia surge exatamente no local da cicatriz umbilical, geralmente, quando uma alça intestinal atravessa o tecido muscular. Baixo peso ao nascer e prematuros também são mais propensos a ter uma hérnia umbilical. As hérnias umbilicais são comuns, ocorrendo em 10 a 20% de todas as crianças.

Hérnia umbilical

Diagnóstico de Hérnia umbilical
O diagnóstico de hérnia umbilical geralmente é feito apenas observando a aparência do umbigo da criança ou adulto. Para verificar a forma e tamanho da hérnia, o médico ou médica pode apertá-la e puxá-la.

Tratamento de Hérnia umbilical
A maioria das hérnias umbilicais em bebês se fecha por conta própria dentro de aproximadamente 18 meses. O médico ou médica pode até mesmo ser capaz de empurrar a protuberância de volta para o abdômen durante um exame físico.
Para as crianças, a cirurgia é normalmente reservada para hérnias umbilicais que:
– São dolorosas
– São maiores do que 1,5 centímetros de diâmetro
– Não diminuem de tamanho após seis a 12 meses
– Não desaparecem até os três anos de idade
– Se prendem aos intestinos ou causam bloqueio.
Para os adultos, a cirurgia é normalmente recomendada para evitar possíveis complicações especialmente se a hérnia umbilical ficar maior ou se tornar dolorosa.
Durante a cirurgia, uma pequena incisão é feita na base do umbigo. O tecido da hérnia é retornado para a cavidade abdominal e a abertura é costurada. Em termos gerais, o tratamento cirúrgico em adultos deve incluir o implante de uma prótese (tela) para reforço da área fragilizada.
Em geral, somente o procedimento cirúrgico é eficaz para tratar a hérnia. Qualquer outro recurso poderá, no máximo, atenuar os sintomas. Sem o tratamento adequado, a doença tende a progredir e corre o risco de exigir cirurgia de urgência.

Hérnia epigástrica
A hérnia epigástrica surge na linha média do abdômen, na região entre o umbigo e o tórax.
Isso ocorre quando uma fraqueza dos músculos abdominais permite que os tecidos passem através do músculo.
A hérnia epigástrica é semelhante à hérnia umbilical mas esta ocorre na zona do umbigo e a hérnia epigástrica forma-se acima do umbigo.
De um modo geral, são hérnias pequenas e, por isso, apenas o revestimento da cavidade abdominal (peritoneu) consegue passar. Nos casos mais graves, a hérnia permite a passagem de um órgão ou parte de um órgão da cavidade abdominal.
Este tipo de hérnia é mais comum no gênero masculino numa razão de 3 para 1 e a sua incidência é reduzida, afetando menos de 1% da população adulta.

Hérnia epigástrica

Diagnóstico da hérnia epigástrica
Como se referiu, a observação da hérnia epigástrica é suficiente para se obter um diagnóstico.
Se necessário, pode-se solicitar uma ecografia ou um estudo radiográfico para identificar uma oclusão intestinal ou outros tipos de hérnia.

Hérnia incisional
A hérnia incisional é o abaulamento, acompanhado ou não de dor, que ocorre na região de uma incisão(cicatriz) de cirurgia anterior.
A hérnia incisional é causada por uma fraqueza da parede abdominal (musculatura) no local de uma cirurgia prévia. Está relacionada à fatores que aumentam a pressão abdominal como: sobrepeso e obesidade; tabagismo e tosse crônica; e esforço físico intenso e repetido.
Os sintomas da hérnia incisional é o abaulamento na região da cicatriz. Esse abaulamento que aparece na região é o conteúdo abdominal se exteriorizando pelo buraco na parede abdominal(anel herniário). Podem fazer parte do conteúdo herniário gordura intra-abdominal e alças intestinais.
Em hérnias menores o sintoma pode ser somente dor ou desconforto geralmente relacionados com esforço físico.

Hérnia incisional

Diagnóstico da hérnia incisional
O diagnóstico da hérnia incisional é feito pelo médico durante o exame físico. Em casos em que há dúvida pode-se realizar um ultra-som da região incisional.

Hérnia ventral
Hérnia ventral é uma protusão da parede abdominal, geralmente na linha média. Entretanto, a hérnia ventral pode ocorrer em qualquer local da parede abdominal. Muitas são denominadas hérnias incisionais porque geralmente se formam no local cicatrizado de incisões cirúrgicas anteriores, onde a pele se tornou fraca ou fina.
As hérnias recebem o nome do local onde ocorrem no corpo. Outros tipos de hérnias:
– hérnia femoral: uma protrusão na parte superior da coxa, logo abaixo da região pélvica
– hérnia de hiato: na parte superior do abdômen
– hérnia incisional: através de uma cicatriz de uma cirurgia abdominal anterior
– hérnia inguinal: uma protrusão na região da virilha
– hérnia umbilical: ao redor do umbigo

Hérnia ventral

Os sintomas da hernia ventral podem levar semanas ou meses para aparecer. O diagnóstico geralmente é feito a partir dos sintomas do paciente e de exames de imagem que mostram a presença de uma hérnia ventral. Alguns pacientes não apresentam nenhum sintoma. Às vezes, os sintomas incluem dor ou desconforto na região da hérnia, que pode piorar quando a pessoa se levanta ou ergue objetos pesados. Pode haver uma protrusão ou calombo na região que pode ser dolorida ao toque.

Tratamento para hérnia
Para todos os tipos de hérnias somente o procedimento cirúrgico é eficaz para tratar a hérnia. Qualquer outro recurso poderá, no máximo, atenuar os sintomas. Sem o tratamento adequado, a doença tende a progredir e corre o risco de exigir cirurgia de urgência, pois quando cresce em demasia, a hérnia pode ficar encarcerada (presa do lado de fora), causando até risco de morte.
Em termos gerais, esse tratamento cirúrgico em adultos deve incluir o implante de uma prótese (tela) para reforço da área fragilizada.

Tags:, , , ,

Deixe seu Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *